Quem Sou

Pastor Valdomiro Pires

Quem passou pela vida em branca nuvem,
E em plácido repouso adormeceu;
Quem não sentiu o frio da desgraça,
Quem passou pela vida e não sofreu;
Foi espectro de homem, não foi homem,
Só passou pela vida, não viveu.

Francisco Octaviano
1826 - 1889

Apascenta as minhas ovelhas

Pastor, poeta profeta e revolucionário, o reverendo Valdomiro Pires de oliveira – o querido Valdô – é dessas figuras que serão permanentemente lembradas pela expressiva contribuição dada à vida da IPI do Brasil e, por extensão, às nossas vidas nas diferentes comunidades locais que freqüentamos. Eu e minha igreja, a IPI de Vila Talarico (Presbitério de Santana), somos testemunhas e eternos aprendizes dessa exemplar trajetória.

Homem simples, vindo da roça, a sua corajosa inquietude diante das injustiças sociais e da ditadura militar (1964-1985) contrastava com o silêncio conveniente das diferentes denominações evangélicas da época. No seio da IPIB, ele se contrapunha aqueles que afirmavam que o crente deveria se preocupar, exclusivamente, com a “salvação das almas”. A esses Valdô, como verdadeiro profeta que não se cansa de denunciar a opressão, devolvia: “Até que corra a justiça como riacho perene” (Amós 5.24).

Além de excelente pastor “de púlpito” – por diversas vezes testemunhei seus sermões em minha igreja –, Valdô é reconhecido por colocar a “mão na massa” em nome das transformações que sonha. Apenas para ilustrar: Valdô, inconformado com a ausência de ritmos brasileiros e temas sociais nas músicas litúrgicas, construiu com outros cristãos – anglicanos, metodistas, luteranos e católicos – o movimento que ficou conhecido como “Louvor Brasileiro”. Contribuiu, assim, com inesquecíveis poemas, tais como “Estamos aqui senhor...” registrado no Cantai Todos os Povos, 16. Repletas de teologia, ecologia e sociologia, suas poesias, reunidas nos livros “Aquarelando” e “Paixões de um Pastor”, foram musicadas, gravadas e espalhadas para todo o mundo.

Mas Valdô é mais que um poeta. È também um revolucionário. Transfigurou o cenário protestante ao organizar o memorável Grupo Café, que ganhou este nome em razão do festival ecumênico de musica popular brasileira cristã, realizado por Valdô, em outubro de 1981. O Grupo Café gravou dois discos preciosos: “CAFÉ: Canções para um Festival Evangélico” e “Multirões”. Após esse trabalho, Valdô dedicou-se a criar na IPIB o movimento Areópago, que reunia inúmeros artistas da Igreja para comporem músicas e poesia, e para participarem de teatro e de outras manifestações artísticas e litúrgicas que não se limitavam a falar do “celestre porvir”, mas a despertar os cristãos – especialmente os jovens – para a política e a missão cristã de transformar o mundo.Parte deste trabalho também está registrada em um LP, chamado de “Areópago”. E quando a IPIB, brasileira de nascimento, celebrava seu centenário, Valdô organizou a gravação do CD “Memórias II: Louvor Brasileiro”, reunindo vários grupos, quartetos e corais presbiterianos independentes para cantarem músicas da nossa terra, da nossa realidade de uma igreja brasileira.

Em tempos de um mercado gospel, saturado de músicas emotivas e superficiais, repletas de “mantras” com doutrinas até estranhas à igreja reformada, a IPIB deve a este grade pastor, poeta, profeta e revolucionário, uma reedição unificada e completa de todos estes discos e de suas obras poéticas. Levado a ampla divulgação (inclusive nas Web Rádio da igreja), esse legado representaria uma grande contribuição para qualidade do nosso culto, servindo como um antídoto contra as heresias que permeiam o meio evangélico.

Encerro esta pequena homenagem agradecendo ao pastor, poeta e profeta Valdô por haver contribuido com a revolução da história da IPI de Vila Talarico - onde formamos o Grupo Canção da Terra para cantar os seus poemas e de outros tantos - e com a minha própria vida, sua ovelha, seu discípulo.

Sua obra, reverendo Valdomiro Pires de Oliveira, revela a grandeza daquele homem simples do sertão e, especialmente, do verdadeiro pastor – na acepção mais ajustada do termo – a apascentar suas ovelhas, pleno do Espírito Santo. O eterno retribuiu-lhe a fidelidade com bênçãos que em muito suplantaram as provações. Glória a Deus pela sua vida e pelo seu ministério.


Marcos Pedroso Mateus - Presbítero da IPI da Vila Talarico - São Paulo - Capital e ex-coordenador do juventude da IPI do Brasil e da região Brasil do CLAI.